Bem vindos ao "O Farol", esperamos contribuir de alguma forma em suas pesquisas ou esclarecimentos sobre essa nova metodologia de aprendizagem a Educação a Distância.

sábado, 6 de novembro de 2010

Avaliação da Aprendizagem

Existe um bom número de expressões e palavras dentro do novo discurso pedagógico que estão no limiar de se transformar em chavões. Algumas delas são: “aprender a aprender”; “aprendizado centrado no sujeito”; “aprendizado autônomo e cooperativo”; “aprender a ser crítico e criativo”; “construção ao invés de transmissão do conhecimento”; “Inter? Multi? Trans? disciplinaridade”; “sujeito holístico e não fragmentado”; "múltiplas inteligências"; “foco no processo ao invés do produto”. Como, no nosso cotidiano com os alunos, vamos tornar concretas as fantasias que criamos como significado para cada uma dessas expressões?

A teoria de Skinner, principal influenciadora da educação ocidental até hoje, de certa forma explicou como a experiência influencia a aprendizagem, sendo esta entendida como o processo pelo qual o comportamento é modificado como resultado daquela. Nesse sentido, a visão behaviorista ou comportamentalista eliminou o caráter pessimista e preconceituoso da concepção inatista, que, oriunda da influência religiosa, acreditava que cada homem é criado por Deus de forma definitiva, donde pode muito pouco a educação fazer por ele, a não ser aprimorar e desenvolver o seu potencial e os seus talentos inatos. Quando esses talentos não existem, nada há a fazer. As aptidões, a prontidão e os coeficientes de inteligência foram os escudos que a concepção inatista usou para o fracasso da sua prática pedagógica. A recuperação da importância dos fatores ambientais no desenvolvimento foi à grande contribuição do behaviorismo.

Baseado neste contexto a forma como fazemos a avaliação do processo educacional determina e espelha a concepção educacional que subjaz à nossa prática. Mais do que isso, entendo a avaliação como um fator central e determinante do processo de aprendizagem que se processa em varias etapas conforme explicitado no vídeo a seguir.




McConnel (1999) em seus estudos relata resultados de pesquisas que, ao avaliar o grau de relação entre o processo de avaliação e de aprendizado, mostraram que os estudantes em geral escolhem como e o que aprender com base na forma como são avaliados, ou melhor, na forma como eles conseguem imaginar que serão avaliados. Em geral, os estudantes buscam dicas para saber como irão ser avaliados, isso porque freqüentemente eles não costumam ser muito bem informados a respeito.

Na verdade, a avaliação impõe o ritmo do aprendizado. Fazendo uma metáfora musical, podemos dizer que o processo de avaliação é a partitura e o arranjo que a orquestra dos estudantes deve executar. Por isso, entendo ser necessário ter a avaliação como um instrumento a serviço da aprendizagem. Para isso é preciso ter clareza sobre qual o papel da avaliação na aprendizagem. Que papel tem a avaliação para a família, para o aluno, para a aprendizagem e para professores e instituição. De modo geral é preciso entender "o que é avaliar", “o que se avalia” "para que e por que se avalia" e "como se avalia".

Por fim, avaliar é um processo dinâmico de reflexão sobre o que fazemos. É um movimento constante e permanente entre AÇÃO, REFLEXÃO e, novamente, AÇÃO. Nesse sentido, o processo de avaliação e o processo de aprendizagem são entendidos como um só.

Fonte: Baseado no texto “o papel da avaliação educacional nos processos de aprendizados autônomos e cooperativos” de Edla Ramos.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Aprendizagem colaborativa em ambientes virtuais e a perspectiva sóciointeracionista de Vygotsky

A autora nos traz uma dimensão da teoria interacionista de Vygotsky em ambientes virtuais. A discussão do texto foi iniciada com abordagens sobre a teoria de Vygotsky e suas contribuições para a educação. Os instrumentos e signos foram pauta de comentários sobre a mediação e os meios de aprendizagem. Logo adiante, a autora expõe a importância da fala para uma análise qualitativa das interações nos chats e fóruns, constituindo-se um dos elementos significantes nos ambientes virtuais.

Os dois níveis de desenvolvimento apresentados por Vygotsky, o real e o potencial, culminam na interação da aprendizagem com o desenvolvimento. O pleno desenvolvimento deste potencial depende das interações sociais e de intervenções de alguém mais experiente. Para Vygotsky, a interação entre pessoas com níveis cognitivos diferentes enriquece a aprendizagem. Observa-se, assim, a relevância da sua teoria para a compreensão da interação e mediação em ambientes virtuais.

O texto expõe ainda que durante esse processo, a interdependência entre os envolvidos pode ocorrer em três estruturas sociais diferenciadas: cooperativa (onde os objetivos dos participantes estão vinculados entre si, de forma que cada um alcançará seus objetivos se os outros atingirem os seus); competitiva (cada indivíduo só atinge suas metas se os demais não atingirem os seus) e individualista (não existe relação entre os objetivos a serem alcançados pelos participantes).

“A colaboração caracteriza-se por relações mais igualitárias entre os autores do processo de aprendizagem… Ela preconiza um processo mais democrático que a cooperação por fornecer aos alunos mais poder em um clima de abertura e responsabilidade partilhada. Em razão de sua maturidade, sua responsabilidade e da autonomia que eles gozam, os alunos podem, participando das atividades em grupo, fazer escolhas segundo seu encaminhamento e utilizar estratégias de aprendizagem que lhes convém”.

Fonte: Regina Young GEad-MM

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Aula tradicional é "viagem para ego do professor"

No ensino presencial sabemos que quem domina a comunicação são os professores e alguns acham que são os donos da verdade. Trata-se de uma grande viagem para seu ego. O aluno acaba relegado a um papel passivo em sala de aula. Quando o curso é formatado para a educação a distância, os papéis do professor e do aluno mudam. O professor não é mais o entregador do conhecimento, é seu “arquiteto”. Decide qual material é incluído e em que profundidade. O aluno é responsável por estudar a matéria antes das "aulas", que se transformam em momentos de discussão do material lido entre os alunos. É nesse momento que ocorre a aprendizagem.

Outra função importante do professor em EaD é auxiliar o aluno a filtrar informações. A multiplicação de fontes de informação na internet, algumas menos confiáveis ou mais enviesadas que outras, requer um trabalho de um guia experiente em uma grande excussão. Ele deve acompanhar as conversas dos alunos durante as sessões de discussão e interferir quando eles chegarem a um impasse. Deve ajudá-los a interpretar os textos, a ler entre as linhas, algo que nenhuma tecnologia atual pode fazer. Ai sim conquistar todos os alunos gradativamente conforme a limitação de cada um sem exceção o que impedira a evasão no curso.

Baseado na entrevista Fredric Michael Litto – Aula tradicional é "viagem para ego do professor",
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Atuação do tutor em EaD




Os aspectos relevantes da atuação do tutor em EaD, quanto ao processo de construção e compartilhamento de conhecimentos deverá ser um bumerangue que contangie todo o grupo unissonamente onde todos consigam falar a mesma língua na questão do aprendizado para buscar a magia da construção de aprender.

terça-feira, 12 de outubro de 2010



A Educação em nosso país precisa adequar-se ao mundo moderno. A Educação a Distância vem colaborar nesse aspecto e democratizar o ensino, fundamental para nossa participação ativa em sociedade.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

EAD ainda enfrenta preconceito de recrutadores

A legislação brasileira garante acesso ao mercado de estágio a todos os estudantes de instituições reconhecidos pelo MEC. Porém, alguns alunos afirmam ter perdido chances de estágio por serem alunos dessa modalidade, ainda que em universidades reconhecidas nacionalmente. Para Ricardo Holz, presidente da Associação Brasileira dos Estudantes de Ensino à Distância (ABE – EAD) “a qualidade da educação à distância é comprovada pelo MEC e pela boa colocação desses profissionais em concursos públicos”. Holz afirma ainda que esse problema acontece com mais frequência em cidades menores. Nas capitais, o setor público é o mais resistente. “Às vezes, a discriminação é comprovada, inclusive, nos editais de convocação”, enfatiza Holz. Ainda assim, ele se mostra confiante quanto às oportunidades de estágios para alunos à distância.


Fonte:  http://www.universia.com.br/
Jornal do Professor - Set/2010 - No 05
Jornalista Responsável: Verena Nery

domingo, 29 de agosto de 2010

O Educador em EaD.

video
O educador em EaD deve estar munido de estratégias para poder transformar uma mera ferramenta ocasional e eventual em um meio para a realização efetiva de ensino e aprendizagem para os seus alunos, tornando o ato de estudar algo prazeroso. Digo ainda, que essa medida passa a ser um diferencial metodológico à medida que os professores comecem a modificar suas relações com seus alunos no quesito aprendizagem, porque irá romper barreiras (usos,costumes tradicionais e os desafios vindouros) estruturais e hierárquicas podendo o mesmo interagir de igual para igual com o estudante em uma relação educacional formativa e construtivista (como uma equipe que deseja vencer um desafio).

Tecnologia na Educação a Distância

Bloco do Passo - Saltos no Tempo

Você já imaginou uma música que seja tocada com o corpo humano? Bem, agora imagine uma música que, para ser tocada, precise do corpo humano em movimento. Agora pense em como seria essa música que para ser tocada precisa de muitos corpos em intenso movimento. Somente os corpos são os únicos instrumentos, para ser executar uma música. Mas se é de música que estamos falando, então não podem ser corpos em qualquer movimento, precisam ser movimentos coordenados, alinhados, estruturados em um trabalho de equipe. Que maravilha são esses corpos...

Função Docente no século XXI - Tecnologia e Educação



Qual a Função Docente no século XXI? O Ensino em novos contextos educacionais.

“rever as práticas pedagógicas e atualizá-las levando em consideracao a demanda dos educandos são atitudes de um educador conectado

Tecnologia na Educação



O vídeo faz uma reflexão sobre a tecnologia daqui a 15 anos. Será que estamos preparados para as exigências do futuro?

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Facilitador do PAD participará de evento em Brasília

No período de 22 a 24 de junho, acontecerá em Brasília a 9ª Oficina de Inclusão Digital do Brasil, que este ano terá com tema principal a implantação do Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades – Telecentros.BR.

Foram contempladas, em todo o país, apenas 63 iniciativas, inclusive a do Projeto Ação Digital – PAD de Russas-CE. De acordo com a solicitação da equipe do Ministério do Planejamento, cada iniciativa deve indicar o nome de um facilitador que atue no telecentro para participar do referido evento com todas as despesas custeadas pelo Governo Federal.

O facilitador indicado pela equipe do Projeto Ação Digital – PAD foi Adriano Ferreira Martins, aluno do Colégio Estadual Matoso Filho, que atua no Telecentro Comunitário do Projeto Ação Digital – PAD há mais de um ano.

Adriano é natural do Sítio Sítio Coaçu, Zona Rural a 10Km do centro de Russas e chegou ao nosso projeto com muitas dificuldades para concluí-lo, tendo em vista a distância entre a cidade e a comunidade onde reside. Ao longo do curso, no ano passado, chegou inclusive a conversar com a coordenadora executiva, profa. Márcia Santiago, para consolidar sua desistência. No entanto, com o incentivo da equipe ele permaneceu estudando no primeiro semestre e por seu desempenho foi selecionado ao término da primeira etapa do PAD em 2009 para atuar como facilitador de acesso às TIC’s no semestre seguinte.

Com sua determinação e esforço, se tornou um dos melhores facilitadores do Projeto, tendo se destacado com um profissional atuante e que está em busca de seu crescimento pessoal. Em novembro do ano passado, participou como membro da organização da I Semana de Inclusão Digital – SEMID e em abril desse ano apresentou, em Mossoró-RN, durante a Reunião Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência seu primeiro trabalho de iniciação científica.

Agora seguirá para Brasília, onde participará do maior evento do País na área. “A experiência e o aprendizado que ele vem vivenciando no último ano, farão, sem dúvida alguma, um grande diferencial em sua carreira profissional. O Adriano é nossa bandeira de consolidação e alcance dos objetivos desse Projeto.”, destaca João Paulo, Coordenador do PAD.

www.projetoacaodigital.com.br

quarta-feira, 19 de maio de 2010

UAB tem 150 vagas abertas para cursos de graduação e pós-graduação

A Universidade Aberta do Brasil (UAB), sediada no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu, está com três processos seletivos abertos: dois para cursos de pós-graduação e um para graduação. As duas especializações – “Gestão Ambiental em Municípios” e “Educação: Métodos e Técnicas de Ensino” – são ofertadas pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Já o curso superior de Tecnologia em Gestão Pública é oferecido pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC).
A Universidade Aberta do Brasil é um projeto construído pelo Ministério da Educação em parceria com os Estados, Municípios e Universidades Públicas de Ensino Superior para ofertar cursos de graduação, pós-graduação e de extensão universitária. O objetivo da UAB é ampliar o número de vagas da educação superior, especialmente para as faixas da população que não têm acesso à formação universitária.

A meta do governo federal é chegar ao final de 2013 com mil polos presenciais, os quais deverão atender, em média 800 alunos – totalizando 800 mil estudantes em todo o país. Para tanto, foram investidos, em 2009, recursos da ordem de R$ 385 milhões. Em 2010, o investimento deverá totalizar R$ 819 milhões; e, em 2011, a intenção é chegar a R$ 1 bilhão. Atualmente, o sistema conta com 88 Instituições de Ensino Superior ofertando 418 cursos para 180 mil estudantes. Os polos estão localizados em todas as regiões do Brasil, em locais estratégicos e com grande demanda.

Todos os cursos são válidos e reconhecidos pelo MEC. O Sistema UAB foi instituído pelo Decreto 5.800, de 8 de junho de 2006, para o “desenvolvimento da modalidade de educação à distância, com a finalidade de expandir e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior no país”.

Os interessados podem fazer as inscrições para as pós-graduações podem ser feitos pelo site da UTFPR:

http://ead.utfpr.edu.br/

Já para o processo seletivo da graduação, a inscrição deve ser feita pelo site do IFSC:

http://ingresso.ifsc.edu.br/portal/principal.php

Consuni aprova UFC Virtual como Unidade Acadêmica

Foi aprovada pelo Conselho Universitário (Consuni), no dia 30/04/2010, a mudança de regime do Instituto UFC Virtual, que se torna a 16ª unidade acadêmica da Universidade Federal do Ceará. Desde a sua criação, em 2003, o UFC Virtual possuía a nomenclatura de "órgão suplementar da Administração Superior".

O relator do processo foi o Pró-Reitor de Graduação, Prof. Custódio de Almeida, que fez um histórico do Instituto UFC Virtual, lembrando que tudo começou a partir de trabalhos realizados na modalidade de educação em rede, tendo como primeiros projetos as atividades do Grupo de Pesquisa em Educação a Distância, coordenado pelo Prof. Mauro Pequeno. A primeira ação, em 1997, foi o Projeto EDUCADI, realizado em São Paulo, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Ceará, onde dez escolas públicas foram atendidas durante dois anos.

Para fundamentar o parecer favorável à criação do Instituto enquanto unidade acadêmica, o Prof. Custódio de Almeida falou de todas as etapas de evolução do UFC Virtual, a partir de 2003. Referiu-se também a 2009, quando foi criado o curso de bacharelado em Sistemas e Mídias Digitais, voltado para a formação de profissionais na área de mídias digitais, compreendendo três habilitações: Comunicação em Mídias Digitais, Sistemas de Informação Multimídia e Jogos Digitais.

O Pró-Reitor afirmou ainda que o Instituto UFC Virtual já conta com um corpo docente e técnico-administrativo em franco processo de consolidação e com a responsabilidade de acompanhar estudantes em formação de caráter permanente .

A transformação do Instituto UFC Virtual em unidade acadêmica consolida os interesses da Instituição no desenvolvimento do trabalho nas modalidades de graduação e pós-gdraduação, através das atividades de ensino, pesquisa e extensão e da utilização de tecnologias, metodologias e linguagens que estimulem a inovação no processo educacional.

Fonte: Conselho Universitário - (fone: 85 3366 7340)