Bem vindos ao "O Farol", esperamos contribuir de alguma forma em suas pesquisas ou esclarecimentos sobre essa nova metodologia de aprendizagem a Educação a Distância.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O que são Ambientes Virtuais de Aprendizagem?

Ambientes Virtuais de Aprendizagem ou AVA é uma expressão muita utilizada hoje por comunicadores, pessoas ligadas à informática e principalmente por educadores e são software que auxiliam na montagem de cursos acessíveis pela internet. Estes integram tecnologias de informação e comunicação com a finalidade de criar um ambiente que possibilite o acompanhamento de cursos a distância de forma autônoma e eficaz.

Com os chamados Ambientes Digitais de Aprendizagem (Educação à distância na internet) a EaD ganhou a possibilidade de organizar de maneira mais controlada cursos, mescla de aulas presenciais e a distância, possibilidade de aulas apenas virtuais, integração com novas possibilidades de interação pela Internet, além da aproximação entre professores e alunos dentro do processo educativo.

O número de ferramentas disponíveis para utilização também cresce a cada dia. São e-mails, fóruns, conferências, bate-papos, arquivos de textos, wikis, blogs, dentre outros. Ressalta-se que, em todos estes ambientes, textos, imagens e vídeos podem circular de maneira a integrar mídias e potencializar o poder de educação através da comunicação. Além disso, a possibilidade de hiperlinks traz o aumento do raio de conhecimento possível de ser desenvolvido pelos alunos. Estes hiperlinks podem ser realizados tanto dentro do próprio ambiente digital de aprendizagem (entre textos indicados ou entre discussões em fóruns diferentes, por exemplo), como também de dentro para fora e de fora para dentro (em casos de pesquisas alargadas de discussões internas, nos quais se pode trazer ou levar conteúdo desenvolvido para a discussão). Assim, pode diferenciar inclusive as nomenclaturas que são dadas à educação promovidas a distância.


Principais Ambientes Virtuais de Aprendizagem


O TelEduc é um ambiente para a criação, participação e administração de cursos na Web. Ele foi concebido tendo como alvo o processo de formação de professores para informática educativa, baseado na metodologia de formação contextualizada desenvolvida por pesquisadores do Nied (Núcleo de Informática Aplicada à Educação) da Unicamp. O TelEduc foi desenvolvido de forma participativa, ou seja, todas as suas ferramentas foram idealizadas, projetadas e depuradas segundo necessidades relatadas por seus usuários.

Com isso, ele apresenta características que o diferenciam dos demais ambientes para educação a distância disponível no mercado, como a facilidade de uso por pessoas não especialistas em computação, a flexibilidade quanto a como usá-lo, e um conjunto enxuto de funcionalidades.

O TelEduc foi concebido tendo como elemento central a ferramenta que disponibiliza Atividades. Isso possibilita a ação onde o aprendizado de conceitos em qualquer domínio do conhecimento é feito a partir da resolução de problemas, com o subsídio de diferentes materiais didáticos como textos, software, referências na Internet, dentre outros, que podem ser colocadas para o aluno usando ferramentas como: Material de Apoio, Leituras, Perguntas Freqüentes, etc.

A intensa comunicação entre os participantes do curso e ampla visibilidade dos trabalhos desenvolvidos também são pontos importantes, por isso foi desenvolvido um amplo conjunto de ferramentas de comunicação como o Correio Eletrônico, Grupos de Discussão, Mural, Portfólio, Diário de Bordo, Bate-Papo etc., além de ferramentas de consulta às informações geradas em um curso como a ferramenta Intermap, Acessos, etc.

O TelEduc é um software livre; você pode redistribuí-lo e/ou modificá-lo sob os termos da GNU General Public License versão 2, como publicada pela Free Software Foundation.

O TelEduc é um ambiente em desenvolvimento no Núcleo de Informática Aplicada à Educação (NIED) da Universidade Estadual de Campinas.


O Blackboard Learning System é uma ferramenta de ensino a distância que disponibiliza um leque de funcionalidades intuitivas de suporte ao e-Learning. A WebCT foi adquirida pela Blackboard onde as suas plataformas (mesmo sendo privadas) são as mais utilizadas no mundo principalmente por instituições de ensino privado.

A WebCT é uma ferramenta que facilita a criação de um ambiente educacional baseado em interface WWW. Pode ser usado para criar cursos on-line completos ou como interface de apoio para cursos comuns. Foi desenhado para ser utilizado por usuários sem grande experiência técnica em computadores fazendo uso de interfaces gráficas para o desenho do material, assim como diversas ferramentas para auxiliar o professor. Alguns exemplos sistema de conferência, chat on-line, estudos em grupo, avaliações, gráficos que listam o progresso dos estudantes, email, glossários etc.

Um dos recursos mais importantes da Blackboard é sua ferrramenta para edição de conteúdos a qual permite visualização antecipada, correção gramatical, e compatibilidade com Dreamweaver, FrontPage ou qualquer ferramenta de autoria com padrão scorm.

Ele é composto por quatro áreas funcionais:

Gestão da informação: informações pessoais, elementos de cursos e documentos, recursos acadêmicos através da web e integração de conteúdos off-the-shelf;

Comunicação: ferramentas de colaboração assíncronas e síncronas incluindo o e-mail, fóruns de discussão e sessões de aula virtual em tempo real;

Avaliações: testes e questionários com feedback automático, notas on-line e registro da participação e progressão nos conteúdos;

Controle: utilitários de gestão para os docentes, armazenamento de informação e relatórios.







O Moodle é um sistema de gerência de curso desenhado para ajudar educadores que querem criar cursos online com qualidade. O software é utilizado em todo o mundo por universidades, escolas, empresas e professores independentes. O Moodle é open source e completamente grátis e é também utilizado como um sistema de administração educacional destinado a criação de cursos e de comunidade virtuais de aprendizagem. A palavra moodle descreve o ato de navegar despretensiosamente por algo, enquanto se faz outras coisas ao mesmo tempo num desenvolvimento agradável e conduzindo freqüentemente pela perspicácia e pela criatividade.

Os parceiros do Moodle são um grupo de empresas de serviços orientado pelos desenvolvedores do núcleo do Moodle. Nós fornecemos uma gama de opções de serviços comerciais para usuários Moodle, incluindo todos os serviços de hospedagem Moodle, contratos de suporte remoto, desenvolvimento de código personalizado e consultoria. Nossos clientes vão desde educadores individuais até departamentos da empresa de treinamento e universidades.

Neste ambiente os cursos podem ser configurados em três formatos escolhidos de acordo com a atividade educacional a ser desenvolvida. São eles:

Formato social: é articulado em torno de um fórum publicado na pagina principal;

Formato semanal: onde o curso é organizado em semanas com datas de inicio e fim;

Formato em tópicos: onde cada assunto a ser discutido representa um tópico que não tem limite de tempo predefinido.

As ações colaborativas do moodle estão divididas em:





O Instituto UFC Virtual, da Universidade Federal do Ceará desenvolveu um sistema on-line ou melhor um ambiente virtual de aprendizagem, chamado Sistema On-Line de Aprendizagem - SOLAR, baseado no modelo de três camadas. Quanto a participação, o ambiente é orientado ao professor e ao aluno. Por fim, quanto ao processamento da aplicação , trata-se de um sistema distribuído, podendo ter seus elementos de frontend, Componentes de Software e Base de Dados em diferentes computadores. Do ponto de vista pedagógico, o sistema foi desenvolvido potencializando o aprendizado a partir da relação com a própria interface gráfica do ambiente, sendo desenvolvido para que o usuário tenha rapidez no acesso às páginas e ao conteúdo, fácil navegabilidade e compatibilidade com navegadores populares.

Atualmente este AVA dá suporte aos cursos de graduação semi-presencial ofertados através da parceria Universidade Aberta do Brasil – UAB com a Universidade Federal do Ceará. O SOLAR também é utilizado como suporte para cursos presenciais nesta mesma intituição. O mesmo é orientado ao aluno e ao professor que possibilita tanto a publicação como a participação em cursos a distância. O SOLAR possui uma interface amigável que facilita a navegação pelos vários recursos do ambiente oferecendo rapidez no acesso as páginas e ao conteúdo das aulas além de ser compatível com diversos navegadores.






O e-ProInfo é um Ambiente Colaborativo de Aprendizagem que utiliza a Tecnologia Internet e permite à concepção, administração e desenvolvimento de diversos tipos de ações, como cursos a distância, complemento a cursos presenciais, projetos de pesquisa, projetos colaborativos, e diversas outras formas de apoio à distância e ao processo ensino e aprendizagem.

O e-ProInfo é composto por dois websites: o site do Participante e o site do Administrador. No Participante, especificamente as possibilidades de interação nesse site o usuário tem a possibilidade de dois acessos, ao ambiente do curso e ao ambiente da turma e a interação poderá acontecer em qualquer um desses ambientes.

O ambiente do curso é uma interface do e-ProInfo pela qual todos os alunos do curso passarão. Pode-se compará-lo com a totalidade de uma escola e o ambiente da turma é uma interface do e-ProInfo onde todo usuário que estiver matriculado em uma turma terão acesso. A interação e colaboração acontecem especialmente na seção “Interação”. Essa sessão é composta das ferramentas:

•Bate-papo,
•Diário de Bordo,
•Webmail,
•Enquete, e
•Fórum.

Em geral, todas as ferramentas inseridas em na seção “Interação” são apropriadas para reduzir os impactos da desterritorialização e destemporalização que acontecem na EAD.



Compilado por Elisângela Jataí.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Visita a Escola José Batista

No dia 04/11/2009 a professora Fátima Sousa levou sua turma de informática educativa da Universidade Federal do Ceará a visitar a Escola José Batista. O objetivo desta visita era conhecer o laboratório de Informática educativa e conhecermos um pouco do trabalho desenvolvido pelos professores de laboratório. Apesar das dificuldades encontradas a escola consegue desenvolver um bom trabalho com as crianças, com os jovens (pro - jovem) e com adultos (EJA). Esses projetos são desenvolvidos com os alunos e também com a comunidade e visa entre outros a inclusão digital.

Na escola não existe um curso de informática propriamente dito, o que é trabalhado lá são conteúdos escolares com a ajuda do computador através dos chamados softwares educativos que visam desenvolver no aluno a familiaridade com o computador e um aprendizado diferenciado e mais dinâmico. Além dos projetos Pró-jovem e o EJA, a escola também está trabalhando outros projetos educativos como “Mais educação” e o “To no mundo” projetos que também utilizam a informática educativa.

O governo através do MEC vem investindo na área de informática educativa tanto nos projetos já citados como também no projeto UCA que disponibilizará um notebook por aluno com o objetivo de facilitar o acesso ao computador sem precisar depender dos laboratórios. Além dos projetos está investindo também na capacitação dos professores para que os mesmos possam atuar de forma efetiva com os alunos. Isso demonstra que a informática não pode mais viver longe das escolas, ela faz parte desse momento que para nós é novo, mas que em países mais desenvolvidos já vivem há bastante tempo.

O Trabalho desenvolvido na Escola José Batista e em tantas outras escolas acaba preparando o aluno para uma nova modalidade de ensino que está crescendo de forma acelerada, tanto em cursos de graduação como em cursos de pós-graduação que é o ensino a distância. A partir do momento que desde cedo as pessoas começam a se familiarizar com os recursos da informática ele irá utilizar com muito mais facilidade as ferramentas existentes nos ambientes virtuais de aprendizagem tais como o fórum, o chat, o portfólio, as mensagens e todos os demais recursos. É através desses ambientes que os cursos acontecem e essas ferramentas são utilizadas para a interação entre tutor-aluno, aluno-aluno, também para leitura de materiais, postagens de trabalhos e discussões acerca de assuntos pertinentes da disciplina estudada.

Para finalizar, ressalto a importância da informática educativa dentro das escolas públicas e particulares junto com uma nova metodologia que acompanhe essas mudanças. Parabenizo a Escola José Batista e todas as escolas que apesar de tantos entraves conseguem com muito amor e dedicação promover aos alunos uma educação digna que todos merecem.

Elisângela Jataí

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Diretor do Instituto UFC Virtual é homenageado


Diretor do Instituto UFC Virtual é homenageado no maior evento nacional sobre informática educativa. O Professor Mauro Pequeno, Diretor do Instituto UFC Virtual, foi homenageado ontem (quinta-feira), durante o Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), que acontece em Florianópolis e é considerado o maior evento da área no Brasil. Este ano, em sua vigésima edição, o Simpósio homenageou os principais pesquisadores brasileiros que têm dado contribuições relevantes à informática educativa no país, como o Prof. Mauro Pequeno (UFC), a professora Léa Fagundes (UFRGS) e Marisa Lucena (PUC-RJ). O professor Mauro Pequeno se destaca no cenário nacional e internacional por sua profícua atuação na área, sendo reconhecido pelo pioneirismo no trabalho com EaD, o que já rendeu ao Instituto UFC Virtual por três vezes, o prêmio PAPED, concedido pela CAPES. A homenagem ao Professor Mauro Pequeno acontece em um momento em que o Instituto UFC Virtual, depois de mais de uma década atuando com tecnologias da educação, cria o curso de graduação Sistemas e Mídias Digitais, possui um colegiado com vinte professores-pesquisadores, ao mesmo tempo em que fortalece o seu compromisso com a educação a distância ao realizar oito cursos de graduação em parceria com o Sistema UAB, o que significa a inclusão de quase cinco mil alunos cearenses no ensino superior. O Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), que já foi realizado por duas vezes em Fortaleza, em 1998 e 2008, acontece anualmente e é promovido pela Comissão Especial de Informática na Educação da Sociedade Brasileira de Computação (SBC). O SBIE de 2009, uma promoção conjunta da SBC, Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade do Vale do Itajaí, teve como tema “20 anos de Informática na Educação: Repensar, reciclar, reutilizar e revitalizar”. O evento contou ainda com a participação de um grupo de professores do Instituto UFC Virtual que apresentou trabalhos sobre a temática do simpósio. Os temas dos artigos podem ser conferidos no link: http://wwwexe.inf.ufsc.br/~sbie2009/resartigoscomp.html

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Projeto de ensino a distância da HUGHES na Amazônia ganha prêmio WISE

GERMANTOWN, Maryland, 27 de outubro /PRNewswire/ -- A Hughes Network Systems, LLC (HUGHES), líder global em redes e serviços banda larga via satélite, anunciou hoje que sua unidade operacional brasileira, a Hughes do Brasil, receberá o prêmio WISE (World Innovation Summit for Education - Cúpula Mundial de Inovação para a Educação) pelo projeto de educação a distância desenvolvido pela secretaria de educação do estado do Amazonas (SEDUC-AM). O prêmio WISE, concedido pela Fundação Qatar para a Educação, Ciência e Desenvolvimento Comunitário, reconhece as melhores iniciativas em todo o mundo na área da educação.
O projeto brasileiro fornece ensino interativo à distância via satélite a mais de 20.000 alunos em 700 salas de aula através de 300 escolas no estado do Amazonas, e foi um dos seis laureados escolhidos entre 588 concorrentes. Os prêmios WISE visam apresentar projetos pioneiros relacionados à educação em nível mundial que fomentem uma colaboração diferenciada e intereducacional. Este é o sexto prêmio recebido pelo projeto.
"Estamos muito orgulhosos de ter este projeto mais uma vez reconhecido", declarou o secretário de educação do Amazonas, Gedeão Amorim. "Em maio deste ano, o consórcio IMS de ensino global premiou o projetou com um 'Gold Learning Impact Award' ('Prêmio de ouro pelo impacto no ensino') em sua conferência anual em Barcelona, Espanha, e também recebeu um prêmio adicional como 'Melhor solução de sucesso ao estudante', representando a melhor solução tecnológica para melhorar os indicadores escolares".
"O projeto do Amazonas para a SEDUC-AM não somente representa um grande marco na história do ensino a distância no Brasil, mas é também um excelente exemplo, com impacto e visibilidade global, de como explorar a tecnologia avançada no setor educacional", afirmou Delio Morais, presidente da Hughes do Brasil. "Estamos honrados de que esse importante projeto tenha sido selecionado pela Fundação Qatar e aplaudimos sua iniciativa educacional mundial".
O projeto do Amazonas utiliza o amplo serviço brasileiro HughesNet(R) de banda larga via satélite junto com o recurso de IPTV (televisão sobre protocolo IP), para transmitir aulas conduzidas diariamente da central de mídia na capital do estado, Manaus, a mais de 20.000 alunos localizados em comunidades rurais. A tecnologia permite que professores e alunos interajam como se estivessem no mesmo espaço físico.
"Quando iniciamos o programa, quase 60 por cento das comunidades não tinham eletricidade regular, portanto, tivemos que comprar geradores a diesel para que as aulas acontecessem", informou José Augusto de Melo Neto, coordenador do Centro de mídias de educação do Amazonas. "O projeto foi tão bem-sucedido que agora estamos levando as aulas a outras comunidades. O plano para 2010 é expandir o número de salas de aula de 700 para 1.000, a fim de atingir 25.000 alunos".
Os seis laureados serão homenageados na primeira Cúpula Mundial de Inovação para a Educação, que será realizada em Doha, entre 16-18 de novembro de 2009. Cada um dos vencedores apresentará seus projetos diante de uma platéia de 1.000 importantes delegados internacionais e ao patrocinador do evento, Sua Alteza, Sheikha Mozah Bint Nasser Al Missned, durante um jantar de gala a ser realizado no dia 17 de novembro de 2009.

Educação a Distância: Um Breve Histórico.

A educação a distância não é um algo novo como muitos pensam, ela teve início em 1728 por meio das aulas por correspondência ministradas por Caleb Philips na Gazetti de Boston. No entanto, outros autores situam seu início na primeira década de 1880 quando a Universidade de Chicago disponibilizou por meio de correspondência um curso de língua hebraica. No Brasil o marco de referência oficial é a instalação de escolas internacionais em 1904.

A segunda geração foi marcada pela utilização de tecnologias de comunicação como o rádio e a televisão. A utilização dessas mídias promoveu à democratização do acesso a educação em diferentes níveis.

A terceira geração adveio da concretização das Universidades Abertas entre as décadas de 1960 e 1970. Esse período foi marcado por mudanças importantes na educação à distância, utilizando a integração de diversas mídias (guias impressos, orientações por correspondência, transmissões por radio e televisão, audioteipes gravados, conferências por telefone, entre outros). Com isso criou-se um método pratico de veiculação de instrução em uma abordagem sistêmica.

A quarta geração é baseada na tecnologia da teleconferência por áudio, vídeo e computador proporcionando a primeira interação em tempo real de alunos com alunos e instrutores à distância. O método era apreciado especialmente para treinamentos corporativos.

A quinta geração, conhecida como classes virtuais on-line com base na internet, tem resultado em enorme interesse e atividade em escala mundial pela educação à distância, com métodos construtivistas de aprendizado em colaboração, e na convergência entre texto, áudio e vídeo em uma única plataforma de comunicação.

Fonte: MOORE, Michael G. KEARSLEY,Greg. Educação a distancia: uma visão integrada. São Paulo: Thomson Learning,2007.

LITTO, Fredric Michael. FORMIGA, Manuel Marcos M. Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil,2009.
Assista ao vídeo: Gerações de inovações tecnológicas no ensino a distância.
video
Fonte: youtube